Vacinas do Governo Federal garantem imunização de 2,8% de MT; Estado distribuiu aos municípios

Doses deverão ser aplicadas em 98 mil pessoas; cabe às prefeituras efetuar a vacinação

Vacinas recebidas pelo Estado foram distribuídas aos municípios - Foto por: Marcos Vergueiro/Secom-MT

Secom-MT


As vacinas contra a covid-19 enviadas pelo Governo Federal, até o momento, garantem a imunização de 98 mil pessoas em Mato Grosso, o que corresponde a 2,8% da população, que é de 3,5 milhões de habitantes.


Conforme os dados oficiais do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde, foram encaminhadas 161.160 doses do imunizante ao estado.


Destas, 126.160 são do primeiro lote da Coronavac, já contendo a primeira e segunda dose necessárias para a imunização. Ou seja, com essa quantidade serão vacinadas 63.080 pessoas.


O Governo Federal também enviou mais 11 mil doses da Coronavac e 24 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford. Todas essas são para uso exclusivo para a primeira dose aos profissionais de Saúde, totalizando 35 mil pessoas.


É importante ressaltar que o Governo de Mato Grosso já distribuiu aos municípios todas as vacinas recebidas, com exceção dos imunizantes guardados para a segunda dose do primeiro lote da Coronavac, que estão armazenados pela Secretaria de Estado de Saúde, e das vacinas reservadas para aplicação nos profissionais de saúde da rede estadual.


Desta forma, como determina o Plano Nacional de Imunização, cabe a cada um dos 141 municípios de Mato Grosso organizar e aplicar os imunizantes nos grupos prioritários. Até o momento, cerca de 30% das vacinas distribuídas pelo Estado foram aplicadas.


Busca de compras diretas


O Governo de Mato Grosso tem buscado a compra direta de vacinas das indústrias farmacêuticas, de forma a complementar a imunização oferecida pela União.


Já foram requeridas as vacinas da Pfizer, porém a empresa explicou que só negocia diretamente com governos federais. O governador Mauro Mendes também solicitou a aquisição direta junto às empresas chinesas Sinovac e Sinopharm, além de articulação junto à Embaixada Brasileira na China e ao Instituto Cultura Brasil China (Ibrachina) para intermediar a compra.



Quer receber notícias como essa no seu celular? Click aqui e entre no grupo do WhatsApp .


Leia a última edição completa da Revista Portal