top of page

Tapurah 35 anos: Construindo o futuro que queremos



Celso Nery No ano que celebra seu 35º aniversário, a cidade de Tapurah tem muito a comemorar, especialmente no que diz respeito ao seu desenvolvimento econômico. Nos últimos anos, a cidade tem se destacado como um importante polo de investimentos e empreendedorismo, atraindo cada vez mais empresas e negócios para a região norte de Mato Grosso. Com uma localização estratégica, a cidade tem investido em infraestrutura e em soluções inovadoras para atrair novos empreendimentos e fomentar o crescimento econômico. A pavimentação de rodovias estratégicas, como as MTs 338 e 010 vão contribuir não apenas para facilitar o deslocamento dos cidadãos, mas também para melhorar a logística local.


O prefeito Carlos Alberto Capeletti lembrou que o primeiro ano foi dedicado a algumas reformas necessárias nos âmbitos administrativo e fiscal. Neste segundo item foram identificadas discrepâncias em valores do IPTU e na carga tributária local, provocando inadimplência de contribuintes. Capeletti explica que o valor do imposto não foi alterado, mas foram sugeridos parcelamento e descontos para imóveis com benfeitorias, como terreno limpo, calçamento e na colocação de lixeira. “Chegou-se a 50% de desconto para o contribuinte que tivesse todos os benefícios. Isso com que as pessoas procurassem, viessem pagar, inclusive, os atrasados. A nossa receita acabou subindo”, celebrou. Como a estratégia surtiu efeito, a gestão aplicou também na arrecadação de ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis). O comportamento foi idêntico, com aumento significativo da receita. “As pessoas não estavam vindo recolher o ITBI devido ao grande valor agregado na propriedade. Quando o contribuinte vai fazer transição familiar, tem que recolher”, explicou.


Passados esses ajustes, a administração municipal passou a fazer investimentos em várias áreas, como infraestrutura, saúde e educação. Na infraestrutura, por exemplo, a aquisição de vários equipamentos tem como objetivo diminuir o custo de cada obra, além de agilizar os trabalhos. “Esse é o intuito da administração, fazer mais com menos, fazer mais serviços com menos dinheiro. Compramos as máquinas e elas praticamente se pagaram em dois ou três serviços do município. Não vai ficar só para nossa gestão, mas para os futuros gestores, quem vir terá um equipamento para poder fazer manutenção”, destacou o vice-prefeito Odair César Nunes.



O município investiu cerca de R$ 25 milhões com a compra de equipamentos para a pavimentação. Entre as aquisições estão um rolo compactador, patrol nova e caminhão de lama asfáltica. O maquinário que estava a disposição do poder executivo estava sucateado, gerando despesas extras e não dando a resposta esperada na execução das obras. “Estamos fazendo a aplicação de lama asfáltica nos bairros onde o asfalto está mais deteriorado e algumas estradas municipais. Inclusive convênio com o Estado para fazer algumas rodovias estaduais com parceria de lama asfáltica. Estamos iniciamos o asfalto rural via Novo Eldorado, asfaltamos 50% do parque industrial que desde 2007 não foi concluído. Estamos fazendo investimentos de energia elétrica, asfalto, água, luz, ou seja, fazendo a infraestrutura e vendendo os terrenos a um preço acessível. E mesmo assim, se o interessado montar a indústria de imediato, tem 80% de desconto e passa a escritura para ele. O investidor só dá 20% de entrada se ele construir e contratar funcionário, já passa a funcionar”, assinalou Capeletti.



O gestor observa que no primeiro ano de mandato houve a preocupação em conseguir parcerias com o Estado e estabelecer a pavimentação de rodovias estaduais, como a MT 338, 010, entre outras vias que interligam Tapurah a diversas cidades do entorno, como São José, Nova Maringá e Ipiranga. “Todos os municípios que circundam Tapurah terão ligação asfáltica, vai ficar muito bom. Esse corredor que vem de São José, o que vem de Campo Novo, que liga Nova Maringá e passa aqui. Tapurah vai virar um micro polo”, detalha o gestor, citando que “os convênios já estão dando resultados, pois estão em fase de construção”.


O prefeito avalia que pavimentando as principais vias regionais diminui o impacto em estradas vicinais, facilitando a recuperação e manutenção pelo poder público. “E o volume de máquinas que a gente comprou, consegue atender melhor daqui pra frente. Quando parar de fazer asfalto, vai ter máquinas sobrando, vai fazendo outras coisas. E fazendo o asfalto rural que envolve parceria Estado, município e produtor para fazer as estradas de agrovila, mais estreitas. Com o que equipamento que a gente comprou, vai dar fluxo e os próximos prefeitos não podem mais parar”.


O investimento em infraestrutura também foi destacado pelo vice-prefeito Odair. Ele disse que o desenvolvimento de obras é fruto da programação séria elaborada no primeiro ano da gestão. “Estamos fazendo a drenagem todas as perimetrais do município. Além disso estamos melhorando a iluminação pública”, disse Odair, lembrando que foram substituídas as lâmpadas antigas por lâmpadas de LED. Essa ação é fruto de um repasse estadual através do Programa MT Mais Iluminado que visa modernizar a iluminação pública no Estado. Tapurah foi contemplada em 2022 com mais de duas mil lâmpadas LED, tornando as vias públicas ambientes mais iluminados, seguros e confortáveis para as famílias tapuraenses.


Alavancar o ritmo de trabalho com o andamento de várias obras faz parte do planejamento feito pela administração municipal. Carlos Capeletti destacou que possivelmente não conseguirá concluir o que está em andamento e o que está projetado, mas que a ideia é fazer nos próximos dois anos mais do que foi feito ao longo da última década. Capeletti considera que ajustar a folha de pagamento no primeiro ano de mandato, reduzindo de 54% para 36% o índice de comprometimento do orçamento com salários, foi uma decisão acertada. Isso ajudou a criar fôlego para aquisição das máquinas e definição de convênios com o Estado. “Fizemos uma programação que tenho certeza de que vamos cumprir 80% dos objetivos traçados”.


Saúde em alta

O desempenho de Tapurah na área de saúde é elogiável. O município obteve nota 9,04 no Previne Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde (sisab.saude.gov.br). O desempenho da Cobertura da Saúde no Programa Bolsa Família ficou com o 5° lugar no Estado. Outro dado de destaque é o 4° lugar na ECOPICS no Mato Grosso.



O município conquistou o Selo Ouro no ImunizaMais MT.


Levantamento mostra que no ano de 2022 Tapurah realizou 25.168 consultas médicas na atenção primária, 3.116 consultas especializadas e 11.596 consultas de enfermagem.


Também foram realizadas 4.802 consultas odontológicas, 413cirurgias, 50.327 exames laboratoriais e 3.833 exames em geral.


O município realizou no ano passado 55.542 procedimentos de enfermagem e aplicou 19.910 vacinas. Ao longo de 2022 foram realizadas 54.382 visitas domiciliares.


“A Secretaria Municipal de Saúde parabeniza TAPURAH pelo 35 ° aniversário e agradece toda equipe da Saúde pelo brilhante empenho e dedicação a Serviço da População Tapuraense”.


Educação em destaque

Os avanços conquistados por Tapurah vão além de infraestrutura e logística. O município foi destaque estadual em educação, tendo conquistado prêmios importantes no programa Alfabetiza MT, do governo estadual. A Escola Dom Aquino ficou em primeiro lugar no Estado no quesito equidade na alfabetização do segundo ano. Já a escola Vinícius de Moraes ficou em sexto lugar no estado na aprendizagem. A terceira escola que se destacou é a Escola Renascer que ficou em 11º lugar também em aprendizagem. Desempenho importante que fez frente em cidades maiores no Estado.


A secretária de Educação, Nádia Bender, comemorou as notas obtidas pelos alunos das escolas tapuraenses. “É muito gratificante para nós, enquanto Secretária de Educação. A gente faz parte da educação aqui, há 31 anos eu trabalho com educação e isso é muito gratificante, ter reconhecimento até do governo do estado, de fazer essa avaliação da aprendizagem das crianças. E é o reconhecimento do trabalho do professor também e de toda a participação das famílias, da equipe gestora também”.


O prefeito lembrou que assim que assumiu o comando do município fez a aquisição de apostilas Aprender Brasil, do Sistema Positivo. Capeletti cita ainda que manter as aulas durante parte do período da pandemia de covid-19 manteve o ritmo de aprendizado dos alunos. “Foi muito importante para o município. A gente manteve as aulas e isso fez com que Tapurah se destaque dentro do Estado”, comentou.


Fazem parte da rede municipal 6 escolas, sendo 4 do ensino fundamental e 2 de educação infantil. Elas atendem cerca de 2 mil crianças da educação infantil, do primeiro até o sexto ano. Contar com material didático de qualidade faz toda a diferença. “Isso faz com que os professores tenham uma orientação do trabalho e também de como trabalhar. A gente tem as formações oferecidas por esse sistema de ensino também”, explica a secretária, acrescentando que há um monitoramento das atividades. São feitas avaliações periódicas. “Até o mês de junho foram feitas 2 avaliações. Nessas avaliações, a gente identifica qual aluno está com dificuldade, em que disciplina. Então o professor tem tempo de trabalhar com essa criança e sabe onde trabalhar para chegar no final do ano e a gente ter o resultado esperado para aquela turma e para aquelas crianças”.


O prefeito destacou ainda que pretende estabelecer uma premiação aos profissionais que conseguirem atingir as metas estabelecidas pela Secretaria de Educação. “Vou instalar a meritocracia. Tem um programa do Estado que vem um recurso a mais no ICMS de municípios que mantêm uma nota alta na escola. Eles já atingiram e já vão ter uma distribuição de meritocracia. Vamos começar a distribuir um valor diferenciado aos professores, devido ao mérito, cada ano é meritocracia, valorização para quem trabalha”, pontua Capeletti.

Ainda na educação, um levantamento detectou deficiência em 17 linhas de ônibus, onde os veículos estavam em boa parte sucateados. Por isso foram 12 ônibus novos.


Também foram adquiridos 3 ônibus que atendem alunos que fazem faculdade em Lucas do Rio Verde. Os veículos são seminovos porque no período não havia unidades 0k a pronta entrega. Aquisição aconteceu durante período de pandemia, quando a indústria reduziu drasticamente a linha de produção. Porém, um dos ônibus serve de apoio, caso necessário. “Hoje está sendo praticamente quase gratuito o transporte dos alunos para a faculdade em Lucas do Rio Verde. Só pagam o motorista”, disse.


Caixa d’água

Outra situação que está sendo viabilizada pelo município é relacionado ao sistema de distribuição de água. Foi licitada a implantação de um reservatório para atender os consumidores. Essa é uma luta antiga, mas que sempre esbarrou na burocracia. Os casos de falta de água nem sempre esbarraram na escassez do produto, mas devido a falta de pressão na área mais alta. Em 2005 houve a distribuição de água direto do poço, porque consegue ‘levar a água’ nos pontos mais altos da cidade. Contudo, com o aumento no consumo, a instalação de reservatórios passou a ser essencial. “Aumentou muito o fluxo de água, muitos poços e o encanamento lá no bairro São Cristóvão, no Cristo Rei, a parte debaixo, quando libera para subir água num setor, explode os encanamentos lá. Então não tem mais alternativa”, destacou, citando que na última licitação duas empresas concorreram. E uma ‘questionou a outra no processo’. Porém, o prefeito acredita que a situação está perto do fim.


Habitação

Um dos problemas enfrentados pelos chamados municípios emergentes, como é o caso de Tapurah, está relacionada a habitação. Com poucos imóveis disponíveis e muita procura os preços de aluguel acabam sendo valorizados. Para solucionar esse gargalo, a gestão municipal ousou e propôs um projeto pioneiro que está em fase de análise pelo Tribunal de Contas do Estado. Trata-se de uma parceria público-privada, em que construtora e o dono de uma área de terras interessados no programa fazem a construção dos imóveis. A infraestrutura a ser feita neste local, e que representaria uma boa fatia no custo da moradia, ficaria por conta da prefeitura. “A infraestrutura passa a ser bônus para o mutuário, como entrada na Caixa Econômica, porque hoje o grande problema é que ninguém tem R$ 30 mil a R$ 40 mil para dar de entrada, a pessoa não consegue financiar”, descreve. O programa foi visto com bons olhos pelos conselheiros do TCE-MT que sugeriu até mesmo que seja desenvolvido em outros municípios. “É o grande gargalo do Mato Grosso, não é só de Tapurah, a questão de moradia”, acrescenta o gestor, citando que a intenção é fazer cerca de 1 mil residências nesse projeto.


Tapurah 35 anos

Com um futuro promissor pela frente, Tapurah se consolida como um importante polo econômico da região, oferecendo oportunidades para empreendedores e investidores que buscam um ambiente favorável aos negócios e um alto potencial de crescimento.



“O objetivo da gente é motivar com que a sociedade cada vez se organize mais, parar com brigas desnecessárias, que muitas vezes isso não leva a nada e encarar o negócio. Hoje sou eu e o Capeletti que estamos aqui à frente junto com a Câmara de Vereadores, e a gente está fazendo o máximo, se dedicando. Eu acho que essa é missão muito nobre, especialmente quando a gente vê que pega o município de uma forma e melhora ele. Acredito em Tapurah, invisto em Tapurah que é uma cidade jovem e com o desenvolvimento econômico à flor da pele, com muita logística vindo para cá. Tapurah é o lugar dos sonhos e eu acredito que todo aquele que quiser uma oportunidade de vida que venha para cá”, destaca Odair.


“Digo para a população que todos estão de parabéns. A gente tem tido uma credibilidade com empresários ajudando em alguns setores, fazendo com que as coisas sejam positivas. Eles estão pagando os projetos para a gente encaminhar via estado, vem evoluindo, a própria cidade. Nesses 35 anos, eu quero desejar para todo tapuraense que sigamos em frente, que acredite na administração que o resultado final será positivo. A gente fez as reformas necessárias, economizou, a gente fez o dever de casa. Parabéns a Tapurah”, deseja Carlos Capeletti.

bottom of page