top of page
  • Foto do escritorEditor

Tapurah 30 anos de olho no desenvolvimento e no futuro



Celso Nery


Uma cidade jovem, que completa apenas 34 anos de fundação, mas que vem mostrando resultados surpreendentes. Esta é Tapurah, situada na região norte de Mato Grosso. A cidade, formada por meio de um projeto de colonização, experimenta um período de desenvolvimento. A preocupação atual é preparar a cidade para receber investimentos com as projeções feitas para a região norte com chegada de ferrovias.



O prefeito Carlos Capeletti diz que no primeiro ano de gestão a preocupação foi colocar a casa em ordem. Foi feita uma reforma administrativa com a intenção de enxugar a máquina pública e garantir economia para futuros investimentos. Além disso, a administração buscou reduzir impostos para os contribuintes. O IPTU, por exemplo, teve descontos importantes e necessários, sendo feito um ajuste com a realidade do município. Outra situação identificada na área tributária é relacionada ao ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis) pago por quem compra um imóvel. Para oficializar a compra e venda, este tributo deve ser pago antes da negociação. Mas não é isso que acontecia em alguns casos. A gestão fez uma tabela, reduzindo valores, mas com saldo positivo para as contas de Tapurah. “Teve resultado positivo no caixa da Prefeitura. Se arrecadou muito mais em IPTU e em ITBI no ano passado que os anos anteriores, devido a baixa de valores a serem arrecadados, com descontos para pagamento à vista”, revelou o prefeito, citando que a estratégia foi mantida este ano, com descontos extras, além dos percentuais oferecidos, para quem efetuar benfeitorias em seus imóveis. A construção de calçadas, principalmente em lotes baldios, busca melhorar a acessibilidade e também na área urbanística.




Na área de infraestrutura, a administração lançou o programa Asfalta Tapurah, que permite a compra de equipamentos para pavimentação asfáltica na área urbana e até na zona rural. Com isso, o município se prepara para parcerias com o governo do Estado que tem lançado obras de asfaltamento nas áreas rurais dos municípios mato-grossenses. “Ele entra com recursos de 50% nas estradas municipais. Com os equipamentos, estamos nos preparando para fazer manutenção das estradas estaduais no futuro”, relata o prefeito. Entre as aquisições estão maquinas patrol, caminhões espargidor, caminhões para lama asfáltica, microrrevestimento, caminhão para pintura, entre outros veículos. “Temos uma equipe especial só para fazer asfaltos”, acrescenta.


Com a conclusão da pavimentação asfáltica em Ana Terra, equipes vão atuar intensamente em Novo Eldorado. A ideia é concluir os trabalhos até o final do ano. “Inclusive com perimetral nas duas vilas”, observa o secretário de Infraestrutura, Algacir Cavazini. Com isso as atenções se voltam às obras de infraestrutura em duas vias que margeiam a Rodovia MT 338: as avenidas Brasil e dos Pioneiros. A administração vê as duas obras fundamentais para atrair investidores para Tapurah.


"Além de dar acessibilidade, vai permitir que novas empresas se instalem ao longo da 338. E muita gente vem se preparando para construir. E gera desenvolvimento, com novas empresas vindo para Tapurah, com um custo de terreno um pouco menor, mesmo da iniciativa, mas com infraestrutura para atrair o pessoal."



Outro trabalho em execução é que visa tapar o buraco provocado por erosão e que causava apreensão na população. “Vem arrastando o problema há muitos anos. Iniciamos a primeira etapa no ano passado e agora começamos a segunda etapa”, disse Cavazini.


Interligado


O ritmo de obras do Governo do Estado anima o prefeito Carlos Capeletti. Principalmente em razão da ligação de Tapurah por asfalto com todos os municípios vizinhos. Por meio de parceria, há pavimentações nas rodovias MT 338, trecho que liga à BR 163, em Lucas do Rio Verde, MT 560, que liga a Sorriso e que está com licitação em execução. Apenas um trecho ainda está pendente na área ambiental, o que deve ser acontecer nos próximos dias. O projeto de pavimentação da rodovia que liga Tapurah a São José está em andamento. “Falta uma verba do senador Carlos Fávaro para fazer o CBOQ. Já está vindo de São José a Tapurah”, assinalou. Outra rodovia que está sendo pavimentada é a 488, que liga Tapurah a Nova Maringá, até o rio, já iniciou a obra, uma parceria entre a prefeitura, associação e governo do Estado. E tem mais várias estradas municipais que estão sendo feito projetos em parceria com produtores rurais e governo do Estado pra execução da pavimentação. O grande foco nosso é infraestrutura”, acentuou.


Para o prefeito tapuraense, Mato Grosso está num momento de desenvolvimento importante e Tapurah tem que aproveitar essa tendência de crescimento. Apesar de estar fora do eixo da BR 163, principal fator de atração de investimentos, o município pode ‘pegar carona’ nesse boom desenvolvimentista. “Temos que criar oportunidades para empresas virem pra cá”, sintetiza, citando que a principal vocação do município, na transformação de proteína animal. “Se não preparar a cidade antes, não tem a mínima condição de vir uma empresa”, comentando que a falta de mão de obra ainda pesa.


Capacitação

Para driblar a problemática envolvendo a falta da mão de obra, o município tem procurado ofertar cursos profissionalizantes a famílias assistidas pela Assistência Social. Vanessa Magri, secretária que responde pela pasta, explica que o Tapurah Capacita já formou mais de 200 tapuraenses como técnico em enfermagem e técnico em agropecuária. “Esses cursos são para pessoas inscritas no Cadastro Único há mais de um ano”, explica Vanessa, citando que depois de formados eles podem fazer novos cursos. São mais de 40 cursos, entre eles designer gráfico, entre outros.



Um novo curso foi viabilizado em parceria com a Escola Técnica de Mato Grosso (Secitec) para a formação de novos profissionais como técnico em agropecuária.


Para estimular a busca por emprego, a secretaria disponibiliza o Balcão de Emprego, um serviço semelhante ao Sine. “As empresas procuram para anunciar as vagas e o CRAS tem um servidor capacitado para realizar entrevistas e elaboração do currículo da pessoa. Com base nas informações prestadas pela pessoa, ela é encaminhada para entrevista de acordo com o perfil que ela mais se encaixa”, pontua Vanessa.


Agricultura

Entre as ações na área de agricultura, algumas ações importantes foram na retomada da feira do produtor. “Era um dia por semana, hoje são dois dias e a ideia é que ela seja itinerante”, observou Cavazini, que também responde pela Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. O município conseguiu uma emenda de R$ 300 mil para reformulação da feira do produtor. A intenção é criar uma espécie de microceasa. A ideia é comercializar de carga fechada produtos que tem maior período de maturação, como banana, limão e mandioca.


O secretário disse ainda que foram recadastrados 78 agricultores que produzem hortifrutigranjeiros, com apoio da SEAF (Secretaria de Estado de Agricultura Familiar) para o plantio de mandioca, banana, limão, entre outras culturas.


Habitação


Na área de habitação, Tapurah trabalha em parceria com o governo do Estado para viabilizar novas moradias. Atualmente quem busca mudar para o município encontra dificuldades para encontrar imóveis residenciais. Nessa parceria, a Prefeitura entra com infraestrutura e terreno, enquanto o governo viabiliza os recursos para a construção de material. Uma questão que será definida é relacionada à mão de obra. “Tem um volume de 60 a 70 casas e é pouco pra Tapurah. Mas a gente está com um programa de parceria com uma empresa privada. O projeto é de 1.080 casas, onde a Prefeitura entra com a infraestrutura, barateando o valor dos terrenos e fazendo desconto no terreno. A empresa vai vender com terreno na faixa de R$ 25 mil mais barato. E como não se preocupar com terreno e infraestrutura, naturalmente sairá com um valor mais baixo”, explica o prefeito. Um terreno em média, nos bairros de Tapurah, está na faixa de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Com a contrapartida da prefeitura, o preço do terreno neste programa ficará em torno de R$ 65 mil. O programa prevê até cinco modelos de casa. “O objetivo é fazer essas 1.080 casas para atrair moradores pra Tapurah, porque tem uma deficiência muito grande de mão de obra, tanto na iniciativa privada, quanto na Prefeitura”, ressalta Capeletti.


Saúde

Um assunto que preocupa gestores país afora é a qualidade dos serviços públicos de saúde. E em Tapurah não é diferente. Desde que assumiu o cargo, o prefeito Carlos Capeletti atua para melhorar a prestação de serviços. E uma das ações foi em relação ao Hospital Municipal. A gestão foi terceirizada para o Instituto São Lucas. “As pessoas não estavam muito aceitando e agora vamos focar na saúde básica, após a terceirização do hospital. Vamos ter mais atendimento e cirurgias no município pra reduzir o volume de viagens para municípios como Lucas do Rio Verde e Sorriso”, observa.



A secretária de Saúde, Izaida Altoé, explica que em 2021 foram realizadas cirurgias em diversas áreas, atendendo a população. Agora, com a terceirização do Hospital Municipal, a gestão pode focar em outras ações, como a implementação do Centro de Especialidades. “Lá teremos a Vigilância Epidemiológica, Ambiental, Atenção Básica. Ao lado será construído o Centro de Reabilitação, que estamos necessitados há muitos anos. É um sonho e cremos que até setembro iniciaremos as obras”, explica a secretária, classificando o Centro de Especialidades como um marco pra Tapurah. “O objetivo do nosso prefeito é que a gente tenha nosso hospital como centro de referência para nossos municípios mais próximos, como Nova Maringá, Itanhangá, Ipiranga. Que ao invés de ir pra Sorriso, eles possam vir, a gente busca a pactualização com o governo do Estado e trazer essas especialidades, de pequenas cirurgias, pra Tapurah e assim desafogar Sorriso”.



Educação

Em relação a educação as boas notícias são relacionadas à retomada das atividades no período pós-pandemia. A secretária de Educação, Nádia Bender, revela que o município teve duas escolas entre as 100 mais bem avaliadas pela Seduc-MT, no programa Avalia MT. “E agora continuamos no trabalho para buscar que outras escolas sejam premiadas também”.



A secretaria trabalha para buscar melhorias para as unidades escolares. Além de investimentos, a secretaria conseguiu implantar nas unidades o programa apostilado que atende as turmas acima do terceiro ano. “Além de atender os alunos, tem o suporte pedagógico para os professores”, observa Bender.


Para melhorar o transporte público, a administração municipal adquiriu cinco ônibus novos. A proposta é adquirir outras unidades este ano. “Pra dar mais segurança aos nossos alunos”, informou a secretária, acrescentando que a renovação da frota também significa economia aos cofres públicos.


Tapurah 30 anos

Um evento programado para os dias 1, 2, 3 e 4 de julho marcam as comemorações dos 34 anos de fundação de Tapurah. É momento de celebrar e mostrar carinho pela cidade que acolheu brasileiros de várias regiões do país.


“A gente vem trabalhando, no início para ajustar a casa e agora, procurando realizar as obras que buscam preparar o município para o futuro. Foi bastante complexa essa pandemia. Mas a população pode confiar que as ações vão acontecer, neste segundo semestre as obras vão ser realizadas e metade de 2022 e 2023 a população vai ser uma cidade diferente, com uma reurbanização que começa a ser feita. Vamos reurbanizar as avenidas, melhorar a iluminação trocando as lâmpadas atuais por led, avenidas com estacionamento. Temos um programa de reurbanização para dar um novo visual para a nossa cidade”, finalizou Capeletti



 

Leia a última edição completa da Revista Portal


Comments


bottom of page