Projeto De Olho no Óleo para reciclagem de óleo de cozinha usado é assinado pela Prefeitura

Coletores do Ecoponto receberão até R$ 2 por cada litro de óleo destinado

Ascom


Com objetivo de dar a destinação correta para o óleo de cozinha usado, a Prefeitura de Lucas do Rio Verde assinou, nesta segunda-feira (04), o termo de parceria para o desenvolvimento do Projeto De Olho no Óleo. O resíduo usado e altamente poluente será transformado, dentro do próprio município, em biodiesel, fonte de energia sustentável.


A ação está sendo desenvolvida pela Secretaria de Meio Ambiente, o Saae, a empresa Fiagril – fabricante de biocombustível, e a Acorlucas (Associação dos Coletores de Materiais Recicláveis), que complementarão a renda auxiliando no manuseio do óleo.


Um litro de óleo usado tem a capacidade de poluir até 20 mil litros d’água. Por isso, é tão importante dar a destinação correta ao óleo usado. O projeto funcionará da seguinte forma: o munícipe deve esperar o óleo esfriar e armazenar em uma garrafa pet, para depois levar ao ponto de coleta.


Jogar esse material em pias, ralos e vasos sanitários pode causar o entupimento das tubulações, enquanto o óleo despejado em rios e lagos cria uma fina camada na superfície, impedindo a oxigenação dos lençóis freáticos. No solo, o óleo acaba por impermeabilizar a terra, contribuindo para enchentes e alagamentos.


Henrique Mazzardo, CEO da Fiagril, comemorou a retomada desse trabalho na cidade. “Esse projeto vai beneficiar o meio ambiente e, consequentemente, toda a população luverdense. Além do benefício socioambiental, vai ajudar as pessoas que trabalham na Acorlucas”, pontuou.


O primeiro ponto de coleta será no Ecoponto, onde a Associação de Coletores já atuante auxiliará também no armazenamento desses materiais. Pelo trabalho, os coletores receberão o valor correspondente a R$ 1,50 até 19.999 litros de óleo e R$ 2 para coletas acima de 20 mil litros de óleo usado. O Ecoponto está localizado na Avenida da Fé, bairro Tessele Junior.


“Será um benefício muito grande para nós que já trabalhamos na reciclagem do Ecoponto. São 19 famílias sustentadas graças ao trabalho desenvolvido por meio da associação. Estamos muito felizes”, comemorou o presidente da Acorlucas, Rosivaldo Cruz.


O diretor do Saae, Maurício Fossati, também comemorou a ação, evitando poluir um bem precioso que é a água. "Estamos sempre buscando a sustentabilidade no município. Já estamos fazendo um importante trabalho de reciclagem e esse projeto de reaproveitamento do óleo soma à conscientização de pensar no meio ambiente", aformou o diretor.


Como funciona o processo?


• Entregue seu óleo usado armazenado em garrafas do tipo pet, que serão colocadas em “bombonas”, um tipo de tonel plástico.

• Depois de cheios, os recipientes serão retirados por um caminhão. O óleo coletado será transportado por uma empresa especializada.

• Ao chegar na fábrica, o resíduo, antes sem serventia, se transforma em biocombustível, deixando de ser um agente poluente.


“Conseguimos retomar e fazer acontecer a coleta do óleo de cozinha usado no nosso município. A gente sabe que o meio ambiente agradece. A princípio o trabalho será no Ecoponto, mas estamos estruturando o projeto para atuar com outros pontos de coleta na cidade”, finalizou a secretária de Meio Ambiente, Suzana Romancini.






Leia a última edição completa da Revista Portal