top of page
  • Foto do escritorEditor

Prefeitura reúne representantes de instituições para tratar sobre período de queimadas

O próximo passo é oferecer treinamento de combate a incêndios para trabalhadores do campo


(Foto: Ascom Prefeitura/Anderson Lippi)

Por Ascom Prefeitura/Patrícia Kluge Marchi


Dentre as ações da programação da Prefeitura de Lucas do Rio Verde, referente a Semana do Meio Ambiente, na segunda-feira (10), aconteceu uma reunião para tratar sobre queimadas. O encontro foi no Sindicato dos Produtores Rurais com a presença da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Defensoria Pública e sociedade civil organizada.


A iniciativa é da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, que preparou várias ações para o mês de junho, como entrega de mudas no centro da cidade, limpeza do Lago Ernani José Machado, instalação de ecobarreira no lago e corrida noturna, entre outros.


“Fazendo parte da nossa programação em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, em parceria com o Corpo de Bombeiros, Ministério Público, Defesa Civil, Sindicato Rural, resolvemos abordar esse assunto que é tão importante, é o período proibitivo, porque ele já se iniciou aqui no nosso estado, se estendendo esse ano de maio até dezembro, por conta da estiagem que vivemos nesse momento, que é um processo natural. É importante discutir esse assunto, tratar como vai ser abordada essas questões na parte operacional, também junto à secretaria, às entidades que cuidam dessa parte e realmente trazer essas informações para o público interessado, para que possamos ter mais sucesso no combate aos incêndios”, explicou o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Felipe Palis.


Para o sucesso no combate às queimadas é necessário uma união de esforços, incluindo a participação dos produtores rurais, nos casos de incêndios florestais. “Entendemos que boa parte dos incêndios florestais podem ser evitados, se tivermos um uso mais responsável do fogo, devidamente autorizado, no momento oportuno, evitando transtornos”, disse Felipe.


O papel da Defesa Civil nesta questão de queimadas, será de oferecer brigadistas para atuar em casos que venham a ter necessidade. “Por meio da Secretaria de Segurança Pública, fazemos a contratação dos brigadistas e todo o aparato logístico que eles precisam para enfrentar esse período que é de seca e, esse ano tende a ser intensificado. A preocupação é que pode acontecer um maior número de incêndios do que nos anos anteriores”, salientou o coordenador da Defesa Civil, Edgar Savaris.


A preocupação das autoridades em relação ao assunto é ainda maior, pois já existem registros de queimadas na região do Pantanal, como explica o Comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Gleiber Bertolazo. “O Governo do Estado de Mato Grosso, vai iniciar o período proibitivo a partir de segunda-feira, dia 17, em virtude das queimadas que já estão ocorrendo no Pantanal, a região já está numa crise forte de queimadas, então vai ser adiantado esse período proibitivo. E nós temos informações que esse ano as queimadas serão muito severas, então toda a preparação é necessária para poder minimizar esses riscos e esses danos ambientais”, observou o comandante.


A promotoria deve atuar juntamente com as autoridades, na questão de orientação e fiscalização. “A promotoria tem o dever, na medida do possível, de orientação sobre as medidas que não devem ser tomadas e aquelas que devem ser tomadas para evitar as queimadas, o incêndio. E além disso, nós temos por obrigação a fiscalização no que tem já eventuais poluições, eventuais queimadas ilegais e dessa forma constatada uma queimada ilegal, o Ministério Público vai agir no sentido de apurar a responsabilidade da pessoa que, de forma culposa ou dolosa”, orientou o promotor público, Leonardo Morais Gonçalves.


A ideia é que as informações sejam levadas aos produtores rurais e, que seja oferecida uma capacitação aos trabalhadores do campo, que eventualmente acabam lidando diretamente com situações de combate à queimadas. “Vamos juntamente com o Corpo de Bombeiros, entrar em contato com o Sindicato Rural e produtores, para que possamos fazer a capacitação, justamente orientando a forma de agir numa situação de incêndio. Se os trabalhadores rurais fizerem um bom trabalho, conseguem ganhar tempo até o Corpo de Bombeiros chegar e fazer o trabalho final”, finalizou o secretário Felipe Palis.


Queimadas

As queimadas urbanas são proibidas durante o ano todo. Já as queimadas rurais são permitidas somente mediante autorização dos órgãos ambientais, sob fiscalização de autoridades estaduais e municipais, como a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.


A pasta também atua na parte preventiva e de educação nas escolas, para que as crianças e jovens desenvolvam a consciência ambiental quanto às queimadas.




Comments


bottom of page