top of page
  • Foto do escritorEditor

Prêmios voltam a recuar para o milho brasileiro

Com preços recuando, o mercado permaneceu quieto no Paraguai
(Foto: Ascom Prefeitura/Rayan Nicacio)

Para o milho brasileiro destinado à exportação, os prêmios voltaram a recuar, assim como o dólar e mercado não anda, segundo informações da TF Agroeconômica. “Outubro permaneceu em $ 50/bushel, Novembro subiu para $ 71 e dezembro permaneceu em $ 85/bushel. O preço flat FOB do milho brasileiro recuou US$ 1/t para US$ 294/t, contra US$ 367/t do milho americano e US$ 310/t do milho argentino”, comenta.




“As pequenas altas do milho nos últimos negócios efetuados entusiasmaram os vendedores a aumentarem suas pedidas rumo ao número mágico de R$ 90/saca FOB que, no entanto, com as quedas nos prêmios, as Tradings ainda não puderam oferecer. Apesar disto o esforço é grande e os volumes exportados neste ano já são maiores do que no ano passado”, completa.

Com preços recuando, o mercado permaneceu quieto no Paraguai. “O cereal apresentou valores estáveis durante o dia, mesmo com as quedas nos preços dos compradores no mercado FAS mantiveram suas indicações semelhantes às observadas na sexta-feira. De qualquer forma, desde a última sexta-feira os números já não despertaram o interesse do vendedor, e durante esta terça-feira não foi diferente”, indica.



“Os vendedores apostam em valores melhores em poucos dias. O mercado de FAS tem uma janela limitada até o final do ano para operar com milho, e então terá sua logística voltada para a soja, e devemos ver uma saída melhor para o mercado brasileiro, se a logística favorecer essa operação”, informa.

Para o milho argentino os prêmios e preços equivalente subiram em média US$ 1/t. “Preços FOB Up River para navios Handysize subiram para o equivalente a US$ 281 novembro e US$ 285 dezembro. Para safra nova, março foi cotado a US$ 297, abril, também a US$ 297, maio a US# 291 e julho a US$ 273. Mercado de Panamax cotou US$ 279 para julho”, conclui.


Leia a última edição completa da Revista Portal


Comentários


bottom of page