top of page
  • Foto do escritorEditor

Médicos residentes participarão de curso sobre monitorização residencial da pressão arterial

Com o método, o paciente levará para casa um equipamento validado e calibrado para aferição



Ascom Prefeitura

Os médicos do Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade de Lucas do Rio Verde participarão nesta segunda-feira (19), do curso para a implantação da Monitorização Residencial da Pressão Arterial (MRPA).

A capacitação promove os métodos de monitorização ambulatorial e residencial da pressão arterial, considerados avanços no tratamento da hipertensão, bem como na investigação e diagnóstico dos diversos comportamentos da pressão arterial. O programa apresenta todos os protocolos e parâmetros a serem seguidos nos métodos, além das contribuições clínicas que os exames podem proporcionar na avaliação do paciente.

“Sabemos que a MRPA é um método que facilita o diagnóstico precoce de um paciente. A hipertensão causa muitos danos e de forma silenciosa. Assim, esse monitoramento auxilia no tratamento precoce do paciente que, muitas vezes, nem precisará de formas medicamentosas”, explica a secretária de Saúde, Drª Fernanda Heldt Ventura.

A proposta inicial é que o método seja utilizado nas unidades de saúde que possuem médicos residentes atuando, como os PSFs X Cerrado, XIII Parque das Américas e XIV Jardim Amazônia.

De acordo com a supervisora do Programa de Residência, Drª Jéssika Sthefane Santos Rodrigues, com a implantação nas três unidades de saúde, o paciente ou pessoa responsável capacitada levará para casa um equipamento validado e calibrado para ser usado durante o período de vigília, por um longo período de tempo, obedecendo a um protocolo previamente estabelecido e normatizado.

“Com esse recurso recomendado nas diretrizes de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) mais recentes, os médicos das unidades terão uma maior segurança no manejo de seus pacientes. Além disso, tal recurso irá trazer maior comodidade aos usuários que antes precisavam, quando indicado o monitoramento, procurar sistematicamente a unidade para fazer tal aferição”, explica supervisora.

Os pacientes indicados a receber o equipamento de MRPA são atendidos sob tratamento anti-hipertensivo, identificação e seguimento da hipertensão do avental branco, identificação e quantificação do efeito do avental branco, identificação da hipertensão mascarada, avaliação da hipertensão de difícil controle, condições clínicas que requerem controle rigoroso da pressão arterial (diabetes, doença renal, hipertensão na gravidez).

A monitorização residencial no sistema de saúde brasileiro foi uma estratégia praticável e pode ajudar na confirmação do diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica, bem como no monitoramento. Essa tecnologia é mais acessível, melhor aceita pelas pessoas e ainda mais confiável que a pressão arterial medida no consultório. Leia a última edição completa da Revista Portal


Commenti


bottom of page