Lucas do Rio Verde 34 anos: terra de oportunidades

Entrevista com o prefeito de Lucas do Rio Verde


Celso Nery



As melhores cidades brasileiras para morar têm algumas coisas em comum, como boa infraestrutura, serviços públicos de qualidade e perspectivas de desenvolvimento. Afinal, nada melhor que morar numa cidade que ofereça as condições ideais e oportunidades de crescimento. Apesar de nova, Lucas do Rio Verde é uma dessas cidades que atraem a atenção de pessoas de todo o país quando o assunto é gerar oportunidades. E os desafios para manter a cidade neste cenário de desenvolvimento vão aumentando a cada dia. Com seus 34 anos de emancipação político-administrativa, a cidade segue sendo preparada para o futuro.


Em entrevista a Revista Portal, o prefeito Miguel Vaz falou sobre os desafios de manter Lucas do Rio Verde nos trilhos do desenvolvimento e preparada para receber potenciais investimentos. O gestor avalia que os 34 anos mostram a maturidade de Lucas do Rio Verde, município que apresenta uma história de orgulho construída por várias mãos. “É uma história de superação, de crescimento gerado a partir de dificuldades. É a consistência da nossa história que vale a pena ser contada”, assinala.


Um exemplo recente de superação envolve a pandemia do coronavírus, que impactou o mundo. A união de esforços entre o poder público e a sociedade civil resultou em um enfrentamento que resultou índices de óbitos menores em comparação com o Estado e país. Por outro lado, ações do poder público auxiliaram o reestabelecimento da economia. A recuperação dos indicadores surpreendeu, por exemplo, na geração de empregos. Em 2021, Lucas do Rio Verde foi a terceira cidade do país, na faixa de 76 mil habitantes, que mais empregou no país. Foram geradas cerca de 2,2 mil vagas de emprego. “Esse é um indicador que mostra o quanto Lucas do Rio Verde é pujante e capaz de se recuperar”, observou o gestor.


Cinco pilares

Na avaliação do prefeito luverdense, uma cidade de oportunidades deve oferecer algumas condições para atrair moradores. Miguel Vaz elencou cinco itens: oportunidades de trabalho, educação, saúde, segurança e habitação. O gestor observa que estes itens em Lucas do Rio Verde seguem sendo favoráveis. O comércio e indústria do município mantêm oportunidades de emprego, e a estrutura física em saúde e educação oferecem boas condições aos seus moradores. Estes dois itens, aliás, sempre foram referências em Lucas do Rio Verde, assegurando prêmios pelo desempenho apresentado. “Temos uma estrutura física e de recursos humanos extraordinários, que são nossos professores e profissionais de educação que atendem todos os luverdenses. Não tem alunos fora da escola”, declarou.


O município tem uma taxa de cobertura da atenção básica de praticamente 100% dos luverdenses, com unidades de saúde com estrutura em todos os bairros. Miguel explica que a administração segue trabalhando para oferecer as especialidades necessárias para atender a população, principalmente no que se refere a média e alta complexidade. O município mantém parceria com o Hospital São Lucas, adquirindo serviços que atendem à demanda da comunidade.


Outro indicador que vem sendo trabalhado pelo município é relacionado à segurança pública. Apesar de não ser atribuição direta da gestão municipal, Miguel observa a necessidade de melhorar esse indicador. “O município que apresenta uma taxa bastante alta de crescimento demanda de maior investimento em segurança pública. E o Estado tem uma política de segurança pública, tendo que atender 141 municípios. Nós não podemos esperar que o Estado venha resolver nossos problemas de segurança pública, na medida que é o nosso desejo. Então temos que ir em busca de contribuir com a segurança pública”, assinalou Vaz.


Os investimentos do município são direcionados em tecnologia e recursos humanos. A intenção é criar uma rede de fibra ótica que assegure a implantação de um cercamento digital, com instalação de câmeras de videomonitoramento em pontos estratégicos. O investimento permitirá a conectividade dos cidadãos nos diversos pontos da cidade. Em relação aos recursos humanos, a Guarda Civil Municipal preparou seus agentes com treinamento em Cotia-SP, que é referência no segmento. Além da qualificação profissional, a corporação recebeu investimentos que permitirão aos agentes atuarem armados, reforçando a sensação de segurança. “É um conjunto de investimentos que a gente está trazendo para a segurança”, sinalizou.


Em breve deverá ser inaugurada a sede própria do Batalhão da Polícia Militar e há, em fase de planejamento, projeto de construção de um novo bloco para a Polícia Civil e de uma base de apoio para o Corpo de Bombeiros. A base será instalada nas imediações da Igreja Rosa Mística. “Isso dá às forças de segurança, mais estrutura, mais condições de atender melhor a nossa população”, observa.



Em relação ao setor imobiliário, ele segue o ritmo de desenvolvimento de Lucas do Rio Verde. E para atender às pessoas que vêm procurar oportunidades e condições de construir sua própria história no município, a administração municipal desenvolve projetos habitacionais. E o maior deles na história do município está em execução. A ideia é entregar nos próximos dois anos, 1.536 apartamentos do projeto Águas do Cerrado. Além deste projeto, outras iniciativas serão anunciadas em breve. “Investimos forte em programas habitacionais para que a indústria e comércio tenham mão de obra disponível aqui”, pontuou, citando que o município segue preocupado em oferecer outros meios para que os luverdenses possam realizar o sonho de conquistar seu próprio imóvel. Uma das alternativas é viabilizar terrenos a preços mais acessíveis para que os interessados financiem a construção de residências.


“Eu destaco esses cinco pilares como os mais importantes para o desenvolvimento de políticas públicas de uma cidade para oferecer oportunidades às pessoas. E é isso que nós pensamos. Estamos sempre muito atentos para que esses indicadores sejam fortes e que a gente possa atrair mais investimentos para o nosso município”, avalia o gestor.


Qualificação

Além dos indicadores, outros aspectos são importantes para atrair investimentos. A qualificação da mão de obra é um deles. Neste sentido, Lucas do Rio Verde conta com instituições, como o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Miguel revelou que está sendo concluído um projeto que busca a qualificação da mão de obra por meio desta instituição. Deverão ser investidos mais de R$ 1 milhão para garantir maior estrutura ao Senai na capacitação dos luverdenses. “Com isso vai dobrar a capacidade do seu espaço físico para melhor atender essa clientela”, indicou.


A melhoria na qualidade da mão de obra local também passa pelo ensino superior. Além de universidade e faculdades locais, o município poderá contar com um campus da Universidade Federal de Mato Grosso, instituição de renome e que segue em processo para instalação no município. O prefeito de Lucas do Rio Verde observa que os entendimentos iniciaram em 2011 e agora mostra que está perto de ser concluído. O gestor cita que uma área de 25 hectares foi oferecida à instituição e deve ser visitada nos primeiros dias de agosto pela comissão que está liderando o projeto de implantação da universidade no município. O espaço é avaliado como ideal, pela localização de forma estratégica. “Esse olhar para a educação de nível superior, especialmente da UFMT, é muito necessário para o município, pois contribui muito para o desenvolvimento da região como um todo”, explicou Vaz.


Logística

A vinda de ferrovias para a região médio-norte vão impactar a economia. E é com a responsabilidade de preparar o município para absorver esses investimentos que a administração vem atuando. Duas ferrovias deverão estender seus trilhos até o município em 7 ou 8 anos. A primeira, em fase de construção, é a Rumo que ligará Rondonópolis a Lucas do Rio Verde. A segunda é a Ferrovia de Integração Centro Oeste, a Fico. O trecho que interliga Campinápolis (GO) a Água Boa (MT) está em fase de execução. Já o que trará os trilhos à Lucas do Rio Verde está em estudo de viabilidade. “Isso tudo desperta um grande centro de distribuição de riquezas para o Brasil inteiro e para o exterior. A nossa vocação é produzir alimentos. Mas, para isso, nós temos que ter toda a indústria de transformação”, avalia, citando que algumas destas indústrias já têm gerado dividendos para o município, como a de carne suína e de frango, biodiesel e etanol de milho. Outros segmentos que podem receber investimentos é o da cadeia de algodão, que tem boa produção local.


Referência

Ao longo de seus 34 anos, Lucas do Rio Verde tem se destacado e sido referência na região e no Estado. No esporte, por exemplo, o município tem conseguido destaque na natação, futebol de campo, futsal, voleibol, artes marciais e diversas outras modalidades. Segundo o prefeito luverdense, o investimento na base permite melhorar a qualidade de vida das famílias. E a mesma receita segue em outras atividades, como as do setor cultural. Atividades culturais do sul, norte e nordeste, além de reforçar a identidade original dos novos luverdenses, ajudam a enriquecer a cultura do município como um todo. “Lucas do Rio Verde está proporcionando muito isso, tanto no esporte quanto na cultura, como forma de fortalecer os movimentos culturais”, reitera.


Desafiador

E mesmo com esse histórico positivo, Lucas do Rio Verde ainda tem muito a avançar. Segundo o prefeito Miguel Vaz, o trabalho é incessante e desafiador. “Temos muito o quê comemorar nestes 34 anos de Lucas do Rio Verde como referência no Estado, como a 6ª economia do Estado”, acentuou o gestor, citando Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Sinop e Sorriso à frente. “Isso é uma conquista de muito valor pra todos os luverdenses, manter a sexta economia do Estado e quem sabe sonhar com quinta economia num futuro próximo. Nada é impossível”, acrescentou.



“Parabenizar a todos os luverdenses que trabalham todos os dias para crescimento pessoal e o crescimento da nossa cidade, nossa economia. Que tenham esse orgulho de morar aqui, que tenham essa motivação, esse sentimento de pertencimento, que contribui muito. Parabéns a todos os luverdenses, mas temos muito ainda por fazer. Lucas tem um futuro muito promissor, com muitas conquistas, novos projetos, uma cidade com pleno crescimento. Como a Ema, a nossa ave-símbolo, que sobreviveu às mudanças do ecossistema e que anda passos largos e cabeça erguida, assim como a população de Lucas do Rio Verde. E vamos viver as novas conquistas com muita alegria, se Deus quiser”, finalizou.





Leia a última edição completa da Revista Portal