Com mais de R$ 31 milhões em obras, gestão prepara Itanhangá para o futuro



Celso Nery


Apesar de ter apenas 22 anos de fundação, o município de Itanhangá vem experimentando um período de importante desenvolvimento. De olho no futuro e com a ambição de atrair investidores, a administração vem trabalhando na infraestrutura do município, seja com recursos próprios ou em parcerias com Estado e Governo Federal. Atualmente, entre aquisições, obras em execução, licitadas ou em processo de licitação, são mais de R$ 31 milhões, um volume interessante para um município com população estimada de 7 mil habitantes.





As obras de infraestrutura têm ganhando atenção especial dos gestores Edu Pascoski e Emerson Sabatine. O programa Itanhangá Mais Obras 2 tem investido mais de R$ 8 milhões na pavimentação asfáltica de ruas e avenidas do perímetro urbano, construções de calçadas e meios-fios, além da implantação de poço artesiano, construção da Capela Mortuária e sinalização viária de 11,5 km no asfalto da MT 242.


Também foram adquiridos veículos para diversas secretarias para execução de obras, fazer o atendimento a produtores rurais, a profissionais e pacientes da área de saúde e educação. A gestão vai aplicar recursos para construção do Laboratório Municipal, para fazer exames, além da compra dos equipamentos para seu funcionamento. Também estão sendo feitos investimentos para construção de escolas, reforma do prédio da Secretaria de Educação e já foram adquiridos tablets para alunos da rede municipal.





Em parceria com os governos estadual e federal, estão sendo construídos uma ponte sobre o Rio Arinos e o trevo na MT 242 no entroncamento com a MT 338, além de aquisição de quatro novos ônibus para o transporte escolar.


Do total de R$ 31,3 milhões de investimentos, mais de R$ 10,1 milhões são de recursos próprios de Itanhangá. Através de emendas parlamentares e do governo federal estão sendo repassados R$ 3,6 milhões. O restante, R$ 17,5 milhões, é oriundo do governo estadual.


O prefeito Edu disse que os primeiros quatro anos de gestão foram importantes e com avanços significativos para Itanhangá, tanto que ele e Emerson acabaram reeleitos. Mesmo com a pandemia, o ritmo de trabalho dos gestores não diminuiu e a dupla manteve o foco no Plano de Governo apresentado à sociedade.


"Nos primeiros quatro anos, nós atingimos as metas, conseguimos mais até do que esperávamos e trazer para a população aquele sentimento de pertencer, de estar se sentindo bem sabendo que seus líderes estão com esse sentimento, de eu e o Emerson fazer com que as coisas aconteçam, que apliquemos bem os poucos recursos públicos que temos, mas que temos um grande desafio”

Pontua Edu, citando que a experiência na iniciativa privada aliada ao engajamento de ações comunitárias permitiram atingir os objetivos estabelecidos.


O município de Itanhangá está no entroncamento de duas importantes rodovias estaduais, as MTs 338 e 242. A 338, também chamada de Estrada da Baiana, liga Itanhangá à Juína, enquanto a 242 segue até Brasnorte. A administração conseguiu elaborar um projeto e iniciou a pavimentação no sentido Nova Maringá. O primeiro trecho, em execução, é de 17 km. E já foi licitado pela Sinfra-MT mais 38,2 km de asfalto, totalizando R$ 51 milhões, que vai chegar até ao Rio Arinos. “E já está em execução a ponte no Rio Arinos, de 240 metros, ponte de mais de R$ 15 milhões. Isso demonstra que nós temos que liderar estas ações, obras importantes para ligar Itanhangá a outras cidades da região”, ressalta Pascoski, citando que a obra da MT 242 sentido Ipiranga do Norte/Sorriso foi concluída. “São obras estruturantes, importantes pra logística e quem passa por aqui vê esse desenvolvimento. As pessoas que moram nas propriedades do interior se sentem mais valorizadas, porque estamos cuidando das estradas e trazendo logística melhor para eles acessarem a sede do município”, acrescenta.


Apesar do cuidado com as obras de infraestrutura, a gestão tem se preocupado com todos os setores administrativos e com a valorização dos servidores públicos. Neste sentido, foi elaborado um novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários, pois o anterior estava muito defasado. O novo PCCS atende servidores da Educação e da administração pública em geral. A valorização do serviço público vai refletir diretamente no atendimento às demandas da população itanhangaense. “Tudo isso dentro da nossa realidade”, assinalou o prefeito Edu, lembrando que o município tem um orçamento anual estimado em R$ 43 milhões.


Além de vice-prefeito, Emerson Sabatine também é responsável pela Secretaria de Administração e Finanças e acompanha atentamente a evolução dos números. Ele lembra que em 2017, quando foi eleito ao lado de Edu, o orçamento de Itanhangá era na ordem de R$ 17 milhões. Esse crescimento é visto com otimismo por Sabatine.


Edu lembrou que a Câmara de Vereadores tem apoiado as ações do Executivo, tendo acompanhado o trabalho diariamente, fazendo cobranças, indicações e ajudando na busca de soluções.


"Foram mais de 100% de aumento nas nossas receitas. Isso foi fruto de trabalho da gestão, da administração, do prefeito Edu que tem uma grande influencia junto ao Governo do Estado, deputados estaduais, federais, senadores, que têm acreditado no desenvolvimento do município e nos ajudado, investindo e assim aumentando as receitas do município”

Seguir adiante

Preparar Itanhangá para um futuro ainda mais promissor é um desafio. Edu e Emerson assinalam que o desenvolvimento passa por melhorias em todos os segmentos e atrair pessoas e mão de obra é um passo importante nessa jornada. O prefeito itanhangaense observa que hoje falta mão de obra no município. “Temos que atrair investidores que vão gerar oportunidades, empregos. E hoje já falta mão de obra, faltam profissionais capacitados em algumas áreas, há dificuldade de encontrar”, observa Pascoski.


A reeleição em 2020 mostra que a gestão segue no ritmo certo. Sabatine destaca o bom alinhamento com Edu para conseguir colocar em prática o plano de governo e angariar o apoio necessário para execução de obras. Ele qualifica a sequencia de ações como dinâmica e arrojada, com preocupação no acompanhamento de cada atividade. “O prefeito Edu cobra bastante dos secretários, somos os primeiros a chegar na prefeitura, os últimos a sair. Uma boa administração só vai pra frente se tiver gestores empenhados no que fazem, administrar bem os recursos públicos. Aí a gente vê o desenvolvimento cada dia acontecendo em nossa cidade e a população se sentindo valorizada. E preparando a cidade para que empresas e investidores venham agregar valores no município de Itanhangá”, destacou.


O grande desafio pela frente é manter o foco e o ritmo de trabalho, desenvolvimento políticas públicas para atrair investidos e investimentos que alavanquem ainda mais o município de Itanhangá. Edu e Emerson observam que há muito por se fazer e que é importante seguir avançando.


Ressalta Pascoski, assinalando que a meta é ‘fazer com que esta região seja um celeiro de grande desenvolvimento’.


"Não é na nossa gestão que conseguiremos fazer tudo, mas estamos preparando o município. Tem que haver uma sequência no desenvolvimento de políticas públicas, não podemos quebrar esse sistema de gestão. Não podemos perder o foco.”




Leia a última edição completa da Revista Portal