top of page
  • Foto do escritorEditor

Bebês Quentinhos: Iniciativa que aquece corações



Celso Nery



Victor, Suelen e os filhos Benício e Bento

“Não é o que você faz, mas quanto amor você dedica no que faz que realmente importa”. A frase atribuída à Madre Teresa de Calcutá mostra a importância de envolver o amor em todas as atividades. Se a ação é solidária, buscando amenizar a dor de pessoas vulneráveis, o amor envolvido deixa a iniciativa ainda mais especial. E foi com amor e preocupação com o próximo que Victor Adriano da Silva e sua esposa Suelen Silva tiveram uma iniciativa. Há dois anos o casal criou um projeto que busca arrecadar roupas e itens de higiene pessoal para atender crianças recém-nascidas. E, ao longo desses cerca de dois anos, o projeto ganhou proporção e já envolve mais de 50 pessoas imbuídas no mesmo propósito: aquecer o coração de mamães e papais de bebês recém-nascidos.


Victor, que trabalha no comércio, conta que o projeto ‘Bebês Quentinhos’ nasceu quando ele foi pai pela primeira vez. O jovem observou a preocupação que envolve a vinda de uma criança ao mundo. Os pais se ocupam com muitas coisas, mas principalmente pelo bem-estar dos pequeninos. Viabilizar o enxoval é a primeira grande preocupação e, economicamente, muitas famílias encontram sérias dificuldades neste sentido. “A gente começou a ver como que era a realidade de ter um bebê em casa, dificuldade, questão financeira, tudo que a gente precisou comprar na época. Logo depois que nosso filho nasceu, a gente criou o projeto para poder auxiliar essas pessoas que não têm condição de comprar esses itens, porque nos primeiros dias tem os itens que são muito importantes para o bebê”.


Vários comércios passaram a fazer parte do projeto, assim como pessoas físicas, que nem sempre gostam de expor a forma como colaboram. A arrecadação de fraldas, lenços umedecidos, álcool, algodão para higienizar e umbigo da criança, sabonete, shampoo, condicionador e roupas é centralizada na loja Marijus Modas, onde Victor trabalha há dez anos. “As roupinhas a gente procura o tamanho RN, P, que são as crianças que acabaram de nascer. Cobertores, no caso aquela manta, cueiro, fraldinhas de boca. O kit é formado por uma peça de cada item desses que eu te falei”, disse Victor.


O Bebês Quentinhos tem uma página no Instagram com referência telefônica. Isso facilita que pessoas possam fazer doações, mas, acima de tudo, que pessoas que precisem de apoio consigam fazer a solicitação. Victor conta que um grupo de voluntários é mantido no WhatsApp para agir em situações que precisem de rapidez. “A gente tem esse grupo lá de apoio e toda vez que a gente precisa de alguma coisa de urgência ou tem algum caso mais delicado, a gente sempre soluciona lá no grupo. A solicitação é apresentada, o pessoal ajuda, se junta. Hoje em dia tá bem coletivo assim, tem muita gente engajada, muitas empresas engajadas, o próprio hospital, está engajado, pastorais, igrejas, bem conhecido na cidade mesmo. Está crescendo muito o projeto”, detalhou. Há ainda pessoas que precisam de um apoio também no momento de fazer o pedido. “Às vezes a pessoa tem uma certa vergonha, receio de pedir alguma ajuda. Então o vizinho, um amigo ou mesmo alguém da própria família entra em contato e a gente vai em busca dessa pessoa, dessa gestante, desse bebê que acabou de nascer pra ver quais são as reais necessidades, o que precisa e a gente sempre dá uma força também”.


O número de crianças atendidas nestes dois anos impressiona. A coordenação do Bebês Quentinhos estima que mais de 500 bebês foram auxiliados. Estima-se que, por dia, de 1 a 2 bebês recebem o kit carinhosamente preparado pelos voluntários envolvidos no projeto. Saber que os recém-nascidos terão assistência num momento especial para suas famílias aquece também o coração de Victor e de todos os envolvidos no projeto. “Eu fico muito feliz em poder ajudar esses bebês de alguma forma. Eu também, como tenho filhos pequenos, tenho noção de como é difícil, complicado você atender as necessidades deles. Mesmo trabalhando, tendo uma certa condição, a gente passa certos apertos de vez em quando. Poder ajudar outras pessoas nesse sentido é muito gratificante”, pontua Victor. “E é legal que às vezes a gente atende algumas gestantes que estão ali próxima de ter o bebê, quando ele nasce as mamães mandam foto, usando a roupinha que o projeto doou, com o cobertor que o projeto doou. A gente fica muito feliz em receber esse feedback também, saber que tem dado certo”.


O coordenador do projeto disse ainda que mais pessoas podem aderir ao projeto, pois é sempre necessário a vinda de novos parceiros. “Sempre está precisando de mais e mais ações, porque quanto mais o projeto cresce, mais pessoas precisando aparecem. A gente acaba precisando de mais ações também. Por isso pedimos o apoio das pessoas, das empresas para que entrem em contato, ajudem de alguma forma o projeto para que a gente consiga trabalhar tranquilo todos os dias”, convida Victor. Os interessados podem procurar no Instagram (@bebesquentinhoslrv) ou fazer contato pelo WhatsApp (65) 99 332-5486. “Quem quiser pode vir nos auxiliar. Toda ajuda é bem-vinda”, conclui.



Comments


bottom of page