top of page
  • Foto do escritorEditor

Amazônia Máquinas: 30 anos acompanhando a evolução do agro no eixo médio norte da BR 163



O agronegócio Mato-grossense tem sido o berço da economia Brasileira trazendo a cada safra o aumento da produção de grãos no Estado e no Brasil, sendo destaque ao longo dos anos pela qualidade dos grãos produzidos por meio da tecnificação do plantio e colheita.


Essa evolução é acompanhada pela Amazonia Máquinas, que em 2023 comemora 30 anos de implantação no município da matriz Lucas do Rio Verde e filiais Sorriso, Nova Mutum, Sinop, Matupá, Alta Floresta, Ipiranga do Norte, Tapurah e Porto dos Gaúchos, uma trajetória que se mistura à luta diária dos produtores para fortalecer o agronegócio.


No início, a Amazônia procurou fornecer equipamentos robustos e dar suporte técnico aos produtores que procuravam ocupar o cerrado mato-grossense com produção diversificada. Como pioneira, a representante da New Holland estava presente na maioria das propriedades rurais, com máquinas e implementos robustos, em uma região que ainda não estava totalmente apta para a agricultura de precisão. “Eram máquinas com grande resistência, logo com boa aceitação no mercado, principalmente no início, quando se cultivava arroz para preparar o solo e tirar acidez da terra e as lavouras não eram tão preparadas, como são hoje”, observou Beto Picazevicz, gerente comercial da Amazônia Máquinas, que está na empresa há 21 anos.


Com o passar dos anos, a evolução chegou em todos os sentidos. Houve melhor entendimento na preparação das lavouras, com insumos melhorados para solo e clima e, claro, a resposta técnica das máquinas responsáveis pela semeadura e colheita. Neste sentido, máquinas e implementos New Holland evoluíram para continuar dando o suporte aos produtores do médio norte do MT. “No início a New Holland fornecia apenas colheitadeiras e tratores, depois passaram a ser oferecidas linhas de plantadeiras, pulverizadores, até chegar nos níveis de hoje, que tem uma linha completa que atende todo segmento da agricultura em nossa região”, pontuou Beto.


Com a conectividade presente, é possível acompanhar o funcionamento das máquinas de forma remota. Além disso, uma vez configurada, a máquina consegue dar uma resposta positiva em termos de melhora no desempenho do equipamento. “A New Holland sempre esteve na vanguarda da agricultura, atendendo a cada estágio. A cada passo que foi sendo dado, a New Holland foi acompanhando e atendendo a demanda dos clientes”.


Fazenda modelo

Uma das grandes dificuldades dos produtores rurais está relacionada a tecnologia no campo. A ausência de sinal de internet atinge, principalmente, as localidades mais distantes do núcleo urbano. Um passo que a Amazônia Máquinas está dando é uma parceria com a empresa Tim, de telefonia celular. Nos próximos meses será instalada uma torre de telefonia numa propriedade rural na MT 242, sentido Tapurah. A propriedade é localizada a 30 km de Lucas do Rio Verde. Com isso, toda a área da fazenda Três Pinheiros poderá ser monitorada.


“Com todos os equipamentos conectados será possível acompanhar todas as informações para os gestores tomarem as decisões, se mudam a máquina de talhão, se modifica a velocidade de plantio, aplicações, enfim, toda essa parte de gestão será possível a partir dessa conectividade das máquinas com a central de inteligência”, detalha.


Show Safra

A Amazônia Máquinas estará presente no Show Safra, que acontecerá de 21 a 24 de março. No estande da empresa acontecerão palestras sobre conectividade proferidas por especialistas da fábrica New Holland e da Amazônia. “O nosso foco é totalmente voltado a tecnologia e durante o Show Safra mostrar a importância da conectividade para o agronegócio”, explica Rafael Paredes, especialista em marketing da Amazônia Máquinas.



Além das palestras técnicas, a Amazônia Máquinas aproveita o Show Safra para comercializar máquinas e implementos agrícolas. A expectativa é aumentar o nível de negócios realizados no ano passado. Para alcançar o objetivo, a empresa vai apresentar a CR 9.90 IntelliSense, a nova colheitadeira New Holland. A máquina conta com sistema alimentador DFR, que proporciona alimentação mais uniforme para os rotores aumentando assim sua capacidade de trilha. Equipada com nova cabine, a CR 9.90 vem com telemetria e opcional de dois monitores e câmeras instaladas no sistema graneleiro e no tubo de descarga.


Expansão

Com a expansão da produção agrícola, a Amazônia Máquinas também foi ampliando o atendimento ao setor produtivo. Atualmente a marca está presente em 9 cidades da região médio norte, de Nova Mutum, passando por Sorriso, Sinop, Matupá, Alta Floresta, Porto dos Gaúchos, Tapurah e Ipiranga, com a matriz em Lucas do Rio Verde. Essas cidades compreendem uma área de plantio de aproximadamente 4,4 milhões de hectares.



Leia a última edição completa da Revista Portal


Comments


bottom of page