top of page
  • Foto do escritorEditor

Agrícola Maripá, uma empresa que acompanha o crescimento de Lucas do Rio Verde

Atualizado: 15 de ago. de 2022



Celso Nery


Estar atento ao mercado e arriscar para suprir demandas. Estes são dois requisitos essenciais presentes nos primeiros passos da Agrícola Maripá. Já se passaram 13 anos desde o início da empresa em Lucas do Rio Verde. Desde a criação, em 2009, a empresa cresceu, ampliou sua área de atuação e é referência nos diversos segmentos de atividade. Arrojado, Leandro Zavodini é um bom exemplo de empresário que, mesmo em meio a dificuldades, consegue encontrar soluções. E foi assim, por exemplo, que a Agrícola Maripá se manteve no mercado após praticamente abrir falência em 2014, quando uma empresa de alimentos passou por um período de transição e afetou diretamente criadores de frango e suínos.



O empresário Leandro Zavodini e a esposa Izabela Zavodini.

O empresário, casado há 13 anos com Izabela Zavodini, revela que a ideia é inovar, atendendo demandas criadas no campo. Além de preços competitivos, os produtores rurais precisam de soluções integradas, questões que foram atendidas pela Maripá. “É uma empresa que se dedica muito ao meio rural, que iniciou com a venda de adubo orgânico e ampliou, estendendo suas atividades. Desse modo, a gente está nesta trajetória, com mais de 13 anos”, assinala.


Trajetória

A Agrícola Maripá iniciou de forma limitada. Os primeiros passos aconteceram de forma tímida. Mas, graças à transparência, qualidade e preço oferecidos ao produtor, a empresa começou a ganhar mercado. O empresário destaca que o custo do adubo químico em comparação ao adubo orgânico é enorme. Além de sair mais em conta, o adubo orgânico traz muitas vantagens ao produtor rural. Com ele, o solo fica mais enriquecido, aumentando a resistência das plantas às doenças, pragas e aos climas adversos.


A importância do adubo orgânico ficou evidente ao longo dos dois últimos anos. O aumento de custos no plantio de lavouras, em razão da alta de preços do produto na forma química, levam os produtores a avaliarem as possibilidades. Os recentes conflitos internacionais, em especial a guerra entre Rússia e Ucrânia, mostraram que a dependência de produtos químicos não é uma boa alternativa. Com isso, o adubo orgânico vem ganhando espaço e os produtores, melhorando duas lavouras.


A partir da melhora das vendas de adubos orgânicos, o empresário começou a observar algumas demandas. Com isso, a Agrícola Maripá ampliou sua atuação, passando a atuar com transportes, com a Transportadora Maripá.


"A gente compra a cama de frango do produtor, faz o pagamento em maravalha. Com isso, a gente consegue colocar o adubo orgânico num preço muito acessível por causa dessa permuta que a gente faz”.


Novas oportunidades


Com os olhos voltados à sustentabilidade, a Agrícola Maripá criou a Paz Ambiental, que funciona em Vilhena (RO). Ela é responsável pela elaboração de projetos ambientais, atendendo produtores na regularização de propriedades e empreendimentos que precisam de regulamentação. Além disso, a Paz Ambiental atua no ramo de coleta, transporte, tratamento e disposição final de resíduos perigosos.


Ao longo dos anos, a Maripá foi expandindo suas atividades. Depois da transportadora, comércio de adubo orgânico, de maravalha, outras empresas foram criadas, como a de jato de areia. Todas têm uma função a cumprir no atendimento às demandas do campo. A transportadora, além de atender os criadores de frango, ainda transporta a safra de grãos de Lucas do Rio Verde e região. “Pela confiança, por ter os caminhões próprios, porque às vezes o produtor precisa de 10 veículos e a Maripá consegue atender”, relata.


Uma das empresas do grupo Maripá, a Zavodini Investimentos vem financiando a produção agrícola. O financiamento é feito por meio de instituições bancárias parceiras da Zavodini. Essa parceria permite a viabilização de juros mais baixos, facilitando que o produtor adquira bens ou produtos. “Não é preciso tirar do bolso ou ir até o banco. Nós temos uma linha de crédito fácil de aprovar. A Zavodini Investimentos permite mais tranquilidade e segurança”, explica o empresário.


A mais recente empresa com o selo Maripá é a Facilita Grãos, que nasceu com a missão de conectar o produtor/agricultor aos compradores certos. Ela atua como um elo entre produtor e indústria.


“A Facilita tem o propósito de solucionar, agilizar, facilitar e garantir lucratividade para compradores e vendedores de grãos. Garantimos a eficiência na logística onde otimizamos o tempo de entrega com valores diferenciados e competitivos”


A Facilita é especialista na corretagem de commodities agrícolas como milho e soja, caroço de algodão e torta de algodão voltados para nutrição animal e o adubo orgânico. Como as demais empresas que levam o selo Maripá, ela tem o comprometimento e seriedade que o mercado exige, contando com parceiros e amigos, visando alcançar os objetivos que resultem em crescimento profissional.


As empresas da Agrícola Maringá funcionam sob o comando do Leandro Zavodini e algumas pessoas de confiança, como irmãos e o sogro. Os diretores mantêm a visão do empresário luverdense. “Graças a Deus eu tenho uma equipe muito boa, que é praticamente família, pessoas de confiança. A gente consegue falar a mesma língua. Eles entendem e trabalham mais que o horário estabelecido”, comenta.


“Comecei em 2009 com uma empresa. Hoje, são 12 empresas, 4 em Vilhena e 8 em Mato Grosso. São empresas que atuam de forma sincronizada, uma completando a outra. Por exemplo, a maravalha vem da madeira, que é extraída de área de reflorestamento. O produtor do aviário que tem a cama de galinha precisa da maravalha. A Maripá tem equipes para limpar o aviário. Ou seja, no final das contas, o produtor ganha por contar com todos os serviços em um só local e com um preço melhor”, detalha Zavodini.


Ao todo, as 12 empresas da Agrícola Maripá empregam de forma direta 131 colaboradores, alguns destes trabalhadores atuando há vários anos no grupo empresarial.


Leandro Zavodini acredita que Lucas do Rio Verde é uma cidade que ainda oferece condições para quem quer construir um futuro promissor. O empresário destaca que mesmo em meio às dificuldades é possível dar a volta por cima. Ele lembra que em 2014 chegou a quebrar, resultado da mudança de gestão de uma multinacional, cujos negócios da Agrícola Maripá eram dependentes. Mas, Zavodini não entregou os pontos e perseverou. “O que é necessário: atitude, perseverança e muito trabalho. Não pode desanimar. As dificuldades aparecem todos os dias, mas se não tiver perseverança, a pessoa não consegue se manter. Eu sempre digo às pessoas que, tendo atitude, perseverança e trabalho, é possível desenvolver. E com esse pensamento a Agrícola Maripá cresce a cada ano”, descreve.


Leia a última edição completa da Revista Portal


コメント


bottom of page