top of page
  • Foto do escritorEditor

Árvore da Esperança: Compartilhando solidariedade





Amor, alegria, bondade, generosidade, união e gratidão. Estes são alguns sentimentos despertados nos seres humanos em decorrência do Natal. Cristãs ou não, as pessoas são tocadas pelo espírito natalino a compartilharem um pouco que receberam ao longo do ano, revelando seus atos de generosidade.


E é com esse objetivo que o município desenvolve anualmente no mês de dezembro o projeto Árvore da Esperança, momento em que a sociedade pode melhorar o final de ano de muitas famílias luverdenses. Empresários, trabalhadores e instituições são estimulados a doar brinquedos, roupas e outros presentes. Uma ideia que surgiu em 2013 e que vem sendo uma grande parceira do Poder Público. “Foi uma proposta que a gente começou a discutir quando assumimos a Prefeitura. Nós achamos interessante porque o poder público sozinho não consegue atender todas as famílias que precisam. Então surgiu a ideia de fazer essa campanha com a sociedade, por meio da Árvore Solidária”, explicou Janice Ribeiro, secretária de Assistência Social e Habitação.


Esse ano a Árvore da Esperança apresentou novidades. Até 2022 uma árvore era montada no hall da Prefeitura Municipal com cartões com os dados das famílias a serem atendidas. O interessado então escolhia a família que seria presenteada. Esse ano a seleção está sendo feita pela internet. Basta acessar o site da Prefeitura e procurar as informações da Secretaria de Assistência Social e Habitação e seguir o passo a passo preparado para fazer a adoção para a entrega dos presentes. “Sempre deu certo e eu não tenho dúvida que esse ano vai dar certo também. E assim a gente faz o nosso papel de seres humanos, de pessoas que estão se aproximando de uma data tão importante que é o Natal. Penso que é um momento de você parar, refletir como foi o seu ano. Eu acho que a solidariedade em primeiro lugar. A gente tem noção que nem todos podem ter um Natal como desejam. E essa árvore vem para isso, para oferecer para as pessoas que mais precisam, para as famílias mais carentes, também um bom Natal com uma mesa é farta de alimentos, alguns presentes que vão receber. A proposta é essa”.


No site da Assistência Social a lista identifica o perfil das famílias cadastradas, número de membros da família, idade, gênero, de forma que os presentes adquiridos sejam compatíveis, sejam roupas em tamanhos adequados ou mesmo brinquedos que tenham indicação de faixa etária.


Foram cadastradas mais de 300 famílias. Além das que estão inseridas em programas sociais, há casos de famílias que não recebem benefícios dos programas, mas estão passando por período em que precisam de apoio. As informações são checadas por assistentes sociais e famílias serão assistidas pela Árvore da Esperança. “O projeto não é único e exclusivamente para as famílias cadastradas, mas para as famílias que realmente precisam”, reforça.


A Secretaria de Assistência Social e Habitação estabeleceu um prazo para a adoção das famílias da Árvore da Esperança. Por isso, até 20 de dezembro é possível promover a solidariedade. E a escolha da data foi pensando em atender todas as famílias cadastradas. “Justamente para que haja um tempo hábil para quem vai doar se preparar. E no caso a gente notar que nem todas as famílias forem adotadas nós consigamos de alguma forma fazer esse atendimento. Procuraremos parceiros ou mesmo internamente vamos agir para que todas as famílias possam ter um Natal abençoado”.


“O Natal traz para gente Esperança. Como a gente sabe, significa o nascimento de Jesus, uma vida nova. Eu desejo para cada pessoa muito amor, que as pessoas consigam reunir as famílias, ser solidários uns com os outros. Quando a gente ajuda alguém, isso aquece o nosso coração. Que todos possam viver em família com muito amor, solidários, e eu tenho certeza que vai ser um ótimo Natal”, definiu Janice Ribeiro.


bottom of page